PERIODIZAÇÃO ESPECÍFICA PARA O VOLEIBOL: USO DO MACROCICLO ELABORADO NO EXCEL®

Nelson Marques Junior

Resumen


O objetivo da revisão foi de explicar a estrutura dos ciclos de treino da periodização
específica para o voleibol e como usar o macrociclo elaborado no Excel® para esse modelo de
periodização. A parte um do artigo o autor ensinou sobre os ciclos de treino dessa periodização. A
periodização específica para o voleibol é composta por oito microciclos e oito mesociclos tendo a
carga de treino através dos cálculos das unidades arbitrárias de Foster et al. (2001). A fadiga é
mensurada pela escala de dor muscular. A parte dois do artigo ensina como usar o macrociclo
elaborado no Excel® para calcular a carga de treino desse modelo de periodização. Em conclusão,
o macrociclo no Excel® torna-se um facilitador para o acompanhamento do treino do voleibolista
com a periodização específica para o voleibol.

Texto completo:

PDF

Referencias


Forteza, A. (2001). Treinamento desportivo: carga, estrutura e planejamento. São Paulo: Phorte.

Foster, C., Florhaug, J., Franklin, L., Gottschall, L., Hrovatin, S., Poker, P., Doleshal, P.,Dodge, C. (2001). A new approach to monitoring exercise training. Journal Strength and Conditioning Researcher, 15(1), 109-115.

Gabbett, T. (2016). The training-injury prevention paradox: should athletes be training smarter and harder? British Journal of Sports Medicine, 50(2), 1-9.

Garganta, J. (1993). Programação e periodização do treino em futebol: das generalidades à especificidade. In. Bento, J., Marques, A. (Eds.). A ciência do desporto a cultura e o homem. Porto: Universidade do Porto. p. 259-270.

Marques, A. (1995). O treino e as novas realidades. Revista Horizonte, -(65), 169-174.

Marques Junior, N. (2005). Testes para o jogador de voleibol. Revista Mineira de Educação Física e Esporte, 13(1), 130-174.

Marques Junior, N. (2010). Seleção de testes para o jogador de voleibol. Movimento e Percepção, 11(16), 169-206.

Marques Junior, N. (2011). Modelos de periodização para os esportes. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 5(26), 143-162.

Marques Junior, N. (2012). Periodização do treino. Educação Física em Revista, 6(2), 1-14.

Marques Junior, N. (2014). Periodização específica para o voleibol: atualizando o conteúdo. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 8(47), 453-484.

Marques Junior, N. (2015). Mecanismos fisiológicos da fadiga. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 9(56), 671-720.

Marques Junior, N. (2015b). Vertical jump of the elite male volleyball players in relation the game position: a systematic review. Revista Observatorio del Deporte, 1(3), 10-27.

Marques Junior, N. (2016). Uso do software Kinovea® para os testes de controle de alguns fundamentos do voleibol. Revista 100-Cs, 2(2), 51-84.

Marques Junior, N. (2017). A revolução russa e o desenvolvimento da periodização esportivana União Soviética. Revista Inclusiones, 4(esp), 110-127.

Marques Junior, N. (2017b). Periodização específica para o voleibol: atualizando o conteúdo da carga de treino. Revista Observatorio del Deporte, 3(4), 32-60.

Marques Junior, N. (2017c). Confiabilidade da escala de faces da percepção subjetiva do esforço adaptada de Foster: um estudo no voleibol master. Revista 100-Cs, 3(1), 29-42.

Marques Junior, N. (2017d). Confiabilidade da escala de faces da percepção subjetiva da dor muscular do esforço físico do voleibol: um estudo no voleibol master. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 11(67), 405-415.

Marques Junior, N. (2017e). Jump test to evaluate the volleyball player. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 11(67), 504-508.

Marques Junior, N. (2018). Planificación del entrenamiento deportivo de José Padilla: um livro sobre a periodização clássica. Revista Observatorio del Deporte, 4(1), 68-75.

Marques Junior, N., Arruda, D., Nievola Neto, G. (2016). Validade e confiabilidade da escala de fases da percepção subjetiva da dor muscular do esforço físico do voleibol: um estudo durante a competição. Revista Observatorio del Deporte, 2(1), 26-62.

Marques Junior, N., Arruda, D. (2017). Análise do jogo de voleibol com novo scout elaborado no Excel®. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 11(68), 525-541.

Monge da Silva, D. (1988). Horizonte com... Monge da Silva. Revista Horizonte, 4(11), 183-186.

Padilla, J. (2017). Planificación del entrenamiento deportivo: un enfoque metodológico de la estructura clásica. Barinas: Episteme.

Santos, P., Castelo, J., Silva, P. (2011). O processo de planejamento e periodização do treino em futebol nos clubes da principal liga portuguesa profissional de futebol na época 2004/2005. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 25(3), 455-472.

Viana, M., Almeida, P., Santos, R. (2001). Adaptação portuguesa da versão reduzida do Perfil de Estados de Humor – POMS. Análise Psicológica, 1(19), 77-92.

Wilmore, J., Costill, D. (2001). Fisiologia do esporte e do exercício. 2ª ed. São Paulo: Manole.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Los artículos, textos, diseños e imágenes generados por la Revista electrónica arbitrada “Actividad Física y Ciencias”, son propiedad de la Universidad Pedagógica Experimental Libertador-Instituto Pedagógico “Rafael Alberto Escobar Lara”, Maracay, Venezuela, con licencia de Creative Commons, No Comercial.

Licencia de Creative Commons

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.